[Resenha/Filme] Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge, Partes 1 e 2

darkknightreturns

Nome original: The Dark Knight Returns, Parts 1 & 2

Ano: 2012 (Parte 1)/2013 (Parte 2)

Diretor: Jay Oliva

Tempo de filme: 76 min (Parte 1)/75 min (Parte 2)/151 min (Total)

Há muito tempo não via um desenho animado. Ponho essa culpa em grande parte a esse tipo de filme estar sendo deixado cada vez mais de lado, para dar espaço a essas animações, que me afastam demais devido a inúmeras coisas. Simplesmente, estou cansado de animações. Pode ser que seja nostalgia eu sentir saudades de ver um O Rei Leão ou Aladdin e desprezar tanto assim as animações computadorizadas de hoje em dia, mas eu gostaria de ver um retorno do desenho animado às telonas.

Enquanto isso não acontece, vi muita gente falando sobre a adaptação dos quadrinhos de Frank Miller chamado Batman: The Dark Knight Returns e aí estava uma boa oportunidade: desenho e com o meu herói favorito de todos, o Cavaleiro das Trevas. Tudo bem que esse desenho tem muita ajuda e recursos tecnológicos, mas bem, a essência dele ainda é de desenho animado, e não de animação computadorizada. Portanto, fui assistir às partes 1 e 2 e vou dizer o que achei.

Para começar, assim como com Watchmen, não, eu não li os famigerados quadrinhos de Frank Miller. Certamente é uma meta de leitura, mas, por enquanto, não li. Sempre tive curiosidade, no entanto. Tanto esse quanto ao próprio The Dark Knight. E que melhor oportunidade se não essa de poder assistir uma obra que está sendo amplamente aplaudida como uma adaptação extremamente fiel à HQ?

Para a minha estranheza, a história é centrada em um Bruce Wayne idoso. Muito incomum ver o Batman com algumas rugas e quase sucumbindo a inúmeras dores provenientes tanto do seu afastamento como Batman (cerca de 10 anos sem vestir a roupa de homem morcego) quanto pela sua idade avançada.

Um ponto bom desse velho Batman é que é possível perceber sua amargura perante a cidade estar cada vez mais violenta, tudo proveniente de seu afastamento. Gangues perigosas estão à solta e tocando o terror em Gotham e a população vive com medo. Com isso, Bruce se sente na urgência de retornar a vestir a capa e enfrentá-los. Tudo bastante comum, exceto pela personalidade densa do personagem, principalmente pelo fato de ele estar mais velho, o que dá um toque a mais para suas motivações. É como se fosse seu último esforço para tentar manter a cidade pacífica. Tudo o que Bruce Wayne faz durante as duas partes parece um esforço colossal, é possível sentir o seu cansaço, apesar de ele ainda ser forte, rápido e tudo mais, o que mais se sobressai é o quão vulnerável ele está. Obviamente, vulnerável para inimigos de peso, e não para os policiais e suas armas de fogo.

Batman-the-dark-knight-returns-part-1-trailer-L-Tk1CFg

Batman, como sempre, atua como um anti herói aos olhos da sociedade. Uns aplaudem sua atitude de sair combatendo o crime, enquanto outros repudiam veementemente essa atitude, julgando-o como um criminoso. Isso é reforçado durante toda a animação, onde é possível ver a mídia inclusive influenciando no caso. A questão dos direitos humanos é constantemente levantada e a figura do Cavaleiro das Trevas está sempre no meio, sendo constantemente debatida pela socidade de Gotham.

Durante a primeira parte, vemos esse retorno do Batman e também o início de um novo Robin. Digo, uma nova Robin. Desta vez, uma garota vai vestir as roupas do Menino Prodígio e ser ensinada por Bruce Wayne. O interessante é que percebemos um sentimento extremamente paternal de Wayne para com ela, que ainda é uma adolescente. Alguns ignorantes poderiam sugerir que o Batman está sendo pedófilo ou algo maldoso do tipo, mas é só usar um pouco o cérebro para se perceber que não se trata disso em hipótese alguma. A realidade é que Wayne não suportaria perder mais um parceiro, ainda mais com uma tenra idade. É por isso que ele faz de tudo para protegê-la e ensiná-la a se tornar mais capaz.

Já na parte 2, o problema atinge um âmbito maior, onde a figura do Batman começa a incomodar até mesmo as autoridades de nível nacional, como o presidente. Afinal, Wayne está constantemente desafiando as forças policiais do Estado, fazendo um trabalho que eles não conseguem, que é controlar Gotham. Nisso, surge até mesmo o Super Homem, em um crossover interessantíssimo, que vai tentar chamar o Cavaleiro das Trevas à razão e fazê-lo parar de lutar contra o crime. Isso é interessante, pois o Homem de Aço está fazendo um papel de pau mandado do governo norte-americano, coisa que eu jamais imaginaria já que, bem, ele é o cara mais forte do mundo e no fundo dá para perceber que ele sabe que o Batman está fazendo o certo e justo.

Por fim, por trás de tudo, há o conceito da Guerra Fria, bombas nucleares e a ilha de Corto Maltese, que vai sofre com uma guerra pela ocupação entre EUA e URSS. Mas esse plano de fundo está bem apagado e só vai servir para alguns eventos que acabam ocorrendo em Gotham… se nem fosse citada, nem faria falta na animação.

batman-the-dark-knight-returns-part-2-poster

A animação tecnicamente é muito boa, com movimentos fluídos e cenas de ação de tirar o fôlego, especialmente na segunda parte, onde até o Coringa tem enorme participação. E é sempre bom ver esse vilão, obsessivo, compulsivo e psicoticamente apaixonado pelo Batman. Eu não sei se era o meu monitor, mas alguns personagens, quando apareciam na televisão da animação, possuíam um rosto esverdeado… bem estranho.

Grande parte da excelência da animação também vai para a trilha sonora. Simplesmente épica, grandiosa e que não perde tanto para o que Hans Zimmer fez para a trilogia de Christopher Nolan. Christopher Drake trabalhou muito bem nas orquestrações, que trazem o caráter épico ainda mais à tona da animação.

É muito bom ver uma animação levada a sério a esse ponto. Extremamente adulta, não há tanto espaço para piadinhas ou gracinhas. O clima pesado da violenta Gotham está presente a todo momento, evidenciado pelo caráter amargo e cansado do idoso Bruce Wayne, o que traz ao Batman um caráter mais brutal do que eu jamais vi.

DKR_R1_18936

Nota final: 5 estrelas (em um total de 5)

Advertisements

About Neto

Formado em História em 2011 pela UNESP Franca.

Posted on January 18, 2013, in Resenhas and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink. 5 Comments.

  1. Parabens Neto, mto boa a análise, nota muito justa!

  2. Fabulous, what a website it is! This blog gives valuable information to
    us, keep it up.

  3. It’s remarkable to visit this website and reading the views of all colleagues about this article, while I am also zealous
    of getting know-how.

  4. I really like your blog.. very nice colors & theme. Did you design this website yourself or did
    you hire someone to do it for you? Plz respond as I’m looking to construct my own blog and
    would like to know where u got this from.
    thanks

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: